quarta-feira, 20 de junho de 2012

Como usar o FGTS para pagar o seu imóvel


Em alguns casos, o FGTS pode ser usado para comprar um segundo imóvel, e é possível juntar os recursos do fundo de todas as pessoas que vão morar no imóvel.

Usar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para dar entrada ou amortizar as parcelas de um imóvel de até 500.000 reais é uma verdadeira mão na roda para os trabalhadores brasileiros. Para ter esse direito, porém, é preciso preencher uma série de pré-requisitos, e não se pode ter outro imóvel residencial em seu nome na mesma cidade ou região metropolitana de sua residência.

Mas há uma série de outras regras que podem causar confusão. O presidente do Canal do Crédito – primeiro site de comparação de produtos financeiros do país –, Marcelo Prata, ajudou EXAME.com a responder as principais dúvidas de quem deseja usar os recursos do FGTS para comprar um imóvel. Veja abaixo:

O básico


1. Na aquisição de imóveis, em que casos se pode usar o dinheiro do FGTS?

Para compra de um imóvel residencial construído ou em construção, com ou sem financiamento; amortização ou mesmo liquidação do saldo devedor em financiamentos imobiliários pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) ou programas do governo; para amortização total ou parcial ou mesmo liquidação do saldo devedor de consórcios imobiliários.

2. Quais as condições para eu usar meu FGTS para adquirir um imóvel?

Para o trabalhador:

- Ter três anos de trabalho sob o regime do FGTS, consecutivos ou não;
- Não ser titular de financiamento ativo dentro do SFH em qualquer parte do país;
- E não ter a propriedade, usufruto, cessão ou mesmo tiver assinado promessa de compra e venda de outro imóvel residencial, concluído ou em construção, localizado na cidade onde trabalhe ou resida, o que também inclui as cidades que façam divisa ou que sejam parte da mesma região metropolitana.

Para o imóvel:

- Ser residencial, urbano e utilizado para a moradia do comprador que utiliza o FGTS;
- Estar localizado na cidade onde o comprador trabalha ou resida há mais de um ano, o que também inclui cidades que façam divisa com a cidade onde se localiza o imóvel, ou que estejam na mesma região metropolitana;
- Estar dentro das regras do SFH, que incluem apenas imóveis de valor de até 500.000 reais atualmente (no caso de imóveis na planta, se quando o imóvel for entregue ele estiver valendo mais do que isso e esse limite não tiver sido ampliado, não será possível usar o FGTS);
- Não ter sido adquirido pelo atual proprietário há menos de três anos com utilização do FGTS.
Obs.: Nunca dê um sinal ou assine uma proposta de compra de imóvel sem antes ter em mãos a matrícula ou certidão atualizada do imóvel, que é emitida pelo Cartório de Registro de Imóveis, para saber se o bem pode mesmo ser objeto de compra com FGTS.

3. Qual percentual do FGTS posso utilizar?

Até o total presente nas suas contas, desde que esse valor não ultrapasse o valor do imóvel.

4. Apenas a Caixa pode liberar o FGTS para compra de imóvel?

Não. Todo grande banco comercial ou Companhias Hipotecárias habilitadas podem fazê-lo. Por isso, caso deseje utilizar os recursos do FGTS, o comprador pode livremente pesquisar as taxas de juros e o Custo Efetivo Total (CET) nas diferentes instituições financeiras, já que o saque poderá ser utilizado sem qualquer custo adicional.

Quando posso comprar o segundo imóvel residencial usando o FGTS:

5. Sou dono de um imóvel junto com minha ex-mulher, no qual ela reside. Posso comprar um novo imóvel com o meu FGTS?

Sim. É permitida a utilização do FGTS para a compra de nova moradia para o trabalhador que tenha perdido o direito de residir no imóvel de sua propriedade em função de separação judicial, divórcio ou separação extrajudicial, independentemente da fração ideal pertencente a ele e da responsabilidade pelo pagamento da prestação do financiamento para aquisição do imóvel, se houver.

6. Posso comprar outro imóvel usando recursos do FGTS caso meu imóvel seja destruído por uma calamidade, como um incêndio?

Sim, desde que sejam apresentados documentos que comprovem a ocorrência do sinistro e atestem que o imóvel se tornou definitivamente inabitável.

7. Sou proprietário de um imóvel recebido por doação, com usufruto em favor de minha mãe. Posso comprar outro imóvel usando recursos do FGTS?

Sim, o nu-proprietário do imóvel – aquele que é dono, mas não pode gozar do bem devido à chamada incidência de ônus de direito real (o usufruto, no caso) – pode usar o FGTS para comprar outro imóvel desde que fique comprovado que a nua propriedade foi recebida por doação ou herança.

Quando posso comprar um imóvel com outra pessoa usando o FGTS:

8. Posso usar meu FGTS para comprar um imóvel com outra pessoa?

Sim, independentemente do grau de parentesco, desde que o imóvel se destine à residência de todos eles e que atendam a todos os requisitos do FGTS. A regra vale, por exemplo, para companheiros (as) homossexuais, irmãos, mãe e filho ou mesmo pessoas que não sejam parentes ou casais.

9. Posso comprar apenas uma fração de um imóvel com recursos do FGTS?

Sim, é possível comprar uma fração de um imóvel pertencente a outra pessoa com recursos do FGTS, desde que o comprador comprove que vai residir nele, além de cumprir os demais requisitos do FGTS.

10. Sou proprietário de fração de um imóvel residencial (quitado ou financiado, concluído ou em construção). Posso comprar outro imóvel com recursos do FGTS?

Sim, desde que a propriedade da fração ideal seja igual ou inferior a 40% do total do imóvel.

11. Já sou dono da fração de um imóvel residencial (quitado ou financiado). Posso comprar outra fração do mesmo imóvel com recursos do FGTS?

Sim, desde que o comprador figure na escritura aquisitiva do imóvel ou contrato de financiamento como coproprietário. Neste caso, a detenção da fração ideal pode passar de 40%.

12. Posso usar o FGTS para comprar um imóvel se eu já for proprietário de um lote ou terreno?

Sim, desde que comprovada a inexistência de edificação no terreno em questão por meio da apresentação do carnê do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e matrícula atualizada do imóvel.

Outros tipos de usos imobiliários para o FGTS (além de compra de imóveis residenciais prontos ou em construção):

13. Posso usar meu FGTS para comprar um lote ou terreno?

Não.

14. Posso usar meu FGTS para reformar um imóvel?

Não.

15. Posso usar meu FGTS para comprar um imóvel misto (residencial e comercial)?

Sim, mas será considerado apenas o valor da parte residencial.

16. Posso usar meu FGTS para comprar um imóvel de madeira ou pré-fabricado?

Depende da avaliação realizada pelo engenheiro credenciado ao banco. Não há uma restrição explícita, cada caso deve ser analisado separadamente.

17. Posso alugar um imóvel que comprei com recursos do FGTS?

Não. Caso seja detectado pelo Agente Operador do FGTS, a qualquer tempo, por denúncia ou no ato da fiscalização, que o imóvel adquirido nunca serviu de moradia ao trabalhador, o fato será noticiado ao Ministério Público e o trabalhador será cobrado pelo valor utilizado de forma indevida.

18. Posso usar meu FGTS para amortizar parcelas de um financiamento ou consórcio e, mais para frente, utilizá-lo novamente com o mesmo propósito (para o mesmo imóvel)?

Sim. A amortização ou liquidação da dívida de um mesmo imóvel com recursos do FGTS pode ser feita mais de uma vez desde que haja um intervalo de dois anos entre cada movimentação. No caso do consórcio, é preciso estar com as parcelas em dia. Caso esteja inadimplente, o consorciado só poderá usar o FGTS se for para liquidar o saldo devedor.

Consórcios:

19. Quais os pré-requisitos para usar os recursos do FGTS para amortizar as parcelas ou liquidar o saldo devedor de um consórcio?

Para o trabalhador:

Consorciado pessoa física, com conta vinculada do FGTS, que tenha adquirido um imóvel residencial urbano, destinado à sua moradia, com recursos da carta de crédito.

Para o imóvel:

- A cota deve estar contemplada e com o bem entregue;
- O uso da carta de crédito deve ter sido para: aquisição de um imóvel residencial novo, usado ou na planta; aquisição de um terreno com construção de imóvel residencial; ou construção de imóvel residencial em terreno próprio urbanizado.
- O imóvel deve estar registrado no Cartório de Registro de Imóveis competente em nome do consorciado;
- O valor máximo de avaliação do imóvel não pode exceder ao limite de operação do SFH na data de aquisição, que atualmente é de 500.000 reais.

20. Quais as condições para usar os recursos do FGTS para amortizar parcelas de um consórcio?

Só é permitida a utilização se o consorciado não tiver mais de três parcelas em atraso. A utilização do FGTS neste caso está limitada a 80% do valor de cada parcela, inclusive daquelas em atraso, se for o caso, em até doze prestações mensais. O percentual restante é de responsabilidade do consorciado. Em caso de não pagamento dessa diferença, o consorciado será considerado inadimplente.

Por: Julia Wiltgen

Fonte: Exame

terça-feira, 19 de junho de 2012

Dicas de Feng Shui para sua Casa.


Saiba mais sobre o elemento terra e sua influência em nossa casa, quem explica é a especialista em Feng Shui e Paisagismo Ana Maria Gonçalves.

O Centro da casa é o setor responsável pela saúde física, emocional e espiritual, quando concentra energias desequilibradas, pode afetar o bem-estar dos moradores. 

É uma área de extrema importância para o Feng Shui. Pela ótica oriental, uma doença não é encarada como um problema isolado e sim como resultado de um desajuste geral, que envolve outros aspectos de vida contemplados pelos demais setores da casa, como a família ou o trabalho. 

Cuidar do centro da casa é garantir um bom fluxo das boas vibrações na sua vida, assegurando a estabilidade de que você necessita para enfrentar os desafios do dia-a-dia.

As ambientações vão variar bastante, de acordo com a localização desse setor e com as preferências de cada morador, mas as principais orientações permanecem:

O centro é regido pelo elemento Terra e ativado com a cor amarela ou tons de terra (marrom, terracota, ocre, bege e areia), ou as complementares, como o vermelho, porém em dose pequena, deve conter materiais como cerâmica e objetos pesados.

Eis algumas dicas quando o centro da casa cair nas seguintes áreas: 

No Corredor: Como essa área tem pequenas proporções, pense em soluções bem práticas para não dificultar o trânsito dos moradores. 

Você tem cinco alternativas: pintar o teto de amarelo; colocar uma passadeira em tons de marrom; pendurar um quadro com paisagem natural; suspender um móbile de argila numa das extremidades ou enfeitar o espaço com uma escultura pesada. Não é necessário adotar todas as soluções, apenas duas.

Na Sala: Você pode colocar um vaso grande de cerâmica ao lado do sofá; se não houver espaço, instale na parede enfeites ou vasinhos de argila; ou cobrir estofados com almofadas amarelas, laranjas e marrom; se possível prefira almofadas quadradas, essa é a representação geométrica do elemento de terra; um arranjo de gerânios também pode ser usado.

Na Sala de Jantar: Utilize louças amarelas, talheres ou demais utensílios (saleiros, portas-copos, etc) com detalhes nessa tonalidade. Além de um belo arranjo de flores amarelas e uma toalha nesses tons.

Na Cozinha: Use uma fruteira ou vaso de cerâmica sobre a mesa; Prefira utensílios de porcelanas (canecas, pratos, vasilhas, etc); Aplique bicos de crochê amarelos nos panos de pratos e escolher esse tom para o jogo americano. É fundamental dispensar cuidados especiais caso a cozinha esteja situada nesse setor, pela influência excessiva do fogo (fogão), o que pode prejudicar a saúde dos moradores.

No Banheiro: Toalhas amarelas são ideais para esse ambiente. Você pode colocar plantas sobre a pia dentro de cachepôs de porcelana; Acrescente vasos de flores amarelas acompanhadas do cristal hematita; Procure ampliar a influência de luz no ambiente, reforça o elemento;

Importante: Não é aconselhável ter um banheiro situado no centro da casa, pois suas finanças podem ficar na corda bamba e escorrer pelo ralo. Para corrigir esse problema, instale um espelhinho nos quatro cantos da parede e um cristal multifacetado no teto.

Por: Ana Maria Gonçalves.

terça-feira, 5 de junho de 2012

Como ter um quarto de hotel em casa


Imovelweb

Os quartos de hotéis chamam a atenção pelo conforto. As camas enormes, os lençóis macios e a coleção de travesseiros são um convite irrecusável ao descanso. E por que não ter esse nível de sofisticação em casa? Confira dicas e fotos para deixar o seu quarto mais confortável do que nunca.


1- Cama e colchão



Um bom quarto de hotel costuma ter uma cama enorme, king size ou até mesmo um tamanho maior, customizado. Em casa, o que limita o tamanho da cama é o tamanho do quarto. Se o seu ambiente for muito pequeno, cuidado para não escolher uma cama grande demais e prejudicar a circulação e a disposição dos outros móveis. Agora, se espaço não for problema, lembre-se de que uma cama de tamanho customizado exigirá lençóis também customizados e, portanto, mais caros. De uma forma ou de outra, não deixe de investir em um bom colchão. É ele quem irá garantir uma noite de sono confortável e revigorante. O tipo de cabeceira fica por conta do gosto pessoal e estilo de decoração adotado.


Queda no juros transforma compra da casa própria em prioridade para a classe C


Estado de Minas

Além da diminuição nos juros, a facilidade para comprovar renda viabilizam aquisição do imóvel. Corretores dão dicas de como comprar



Nos últimos anos, o crescimento do poder aquisitivo do brasileiro tem feito com que haja um aumento populacional da classe C. Essa migração de consumidores para faixas mais elevadas de renda tem alterado as preferências de consumo dessa nova parcela da classe média. De acordo com pesquisa realizada pela Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ), em 70 cidades brasileiras, a classe C é a que registrou maior disposição para o consumo este ano. Na lista de prioridades, os itens que tiveram maior aumento foram reforma, compra do imóvel e aquisição de carro.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

7 Motivos para contratar um corretor de imóveis


Via CRECI MG

O corretor de imóveis é o responsável por avaliar corretamente o seu imóvel e dar todas as informações necessárias e importantes aos interessados em adquiri-lo, ou seja, é ele quem faz a propaganda e os contatos necessários para que o seu imóvel seja vendido. Veja abaixo alguns motivos para contratar um corretor de imóveis:
 

1 – Avaliação do imóvel

Como dissemos acima é o corretor o responsável por fazer a avaliação do imóvel e além de fazer essa avaliação ele elabora um laudo que informa e justifica o valor atribuído ao bem. Com todos os detalhes da avaliação o corretor também elabora um plano de atendimento aos clientes capaz de informar todos os detalhes que esse questionar, pois apesar de o proprietário saber todas essas informações nem sempre tem o tempo de sobra para atender todos os interessados e repetir quantas vezes for necessário as mesmas informações, é aí que entra o corretor que tem todo o tempo disponível para dar a atenção solicitada ao comprador.